Paleontologia

PRINCIPAIS JAZIDAS NA ZONA CENTRO-IBÉRICA (Portugal)

  • LAÚNDOS 1
Esta jazida (D1a) é pouco fossilifera, sobretudo quando comparada com outras jazidas abordadas neste website.  Aqui foram descobertos fósseis de trilobites, Eurypterida, Phyllocarida, braquiopodes (tais como os generos Levenea e Howellella), possiveis bivalves e restos de peixes dos generos Ischnacanthus, Climatius e Onchus.  Apesar dos fósseis não serem abundantes, esta jazida reveste-se de elevada importância pela presença de fósseis de vertebrados, sendo os mais antigos do país. 

Figura 1: Howellella sp.


 Figura 2: Especime de Levenea sp.


Figura 3: Segundo espécime de Levenea sp.


Figura 4: Exemplo de bivalve Noculoidea?.

Figura 5:  Exemplo de uma cuticula de Eurypterida ou Phyllocarida.

Figura 6: Mandíbula de Phyllocarida (molde e contramolde). 
Figura 7: Mandíbula de Phyllocarida.
Figura 8: Mandíbula de Phyllocarida


Figura 9: Fragmento de carapaça de Phyllocarida.

Figura 10: Alguns restos de peixes pertencentes á coleção do Museu Geologico de Lisboa (LNEG). Da esquerda para a direita: mandibula de Ischnacanthus sp.; espinho de Climatius sp.; Ischnacanthiforme indeterminado.

  • LAÚNDOS 2
Esta jazida é a mais diversificada das duas unidades devónicas ocorrentes em Laúndos. Nas litologias deste afloramento, podem ser encontrados diversos espécimes de trilobites (entre os quais Phacops, AsteropygeCarringtonotusBurmeisterella, entre outras), corais  tabulados (tais como o genero Pleurodictyum) e rugosos, Braquiopodes (tais  como OrbiculoideaStrophonemaFilispiriferCyrtinaSchizophoriaParachonetes e outros), bivalves (Pterinea), crinoides (Botryocrinus e outros), briozoarios (Fenestella e outros) e tentaculites. 


Figura 11: Pleurodictyum nov. sp. (ainda em fase de estudo) com outro pequeno coral agarrado. À esquerda face distal contendo um especime de Hicetes innexus. À direita face proximal contendo um Hicetes do pequeno coral observado na face distal. 

Figura 12: Pleurodictyum nov. sp. com um espécime do braquiópode Cyrtina sp. Do lado esquerdo face  distal e à direita face proximal. 

Figura 13: Espécime de Pleurodictyum sem face proximal.
Figura 14: Dois espécimes de corais rugosos solitarios indeterminados.
Figura 15: Espécime de Briozoário da espécie Fenestella bouchardi pertencente á coleção do Museu de Historia Natural e da Ciência da Universidade do Porto. 
Figura 16: Espécimes de Cyrtina sp.
Figura 17: Espécimes de Eodevonaria ? sp.  (Hysterolites ? marcado com 1).
Figura 18: Espécime de Iridistrophia sp.  (I. cf. eodevonica) ?.
Figura 19: Espécimes de Parachonetes ? sp.  
Figura 20: Espécime de  Parachonetes cf. vernruili (Orthochonetes verneuili).
Figura 20: Strophochonetes ? sp. (entre o bivalve Pterinea sp. marcado com 1 e o braquiópode Megakozlowskiella ? sp.  marcado a 2).

Figura 21: Espécime de Megakozlowskiella ? sp.
Figura 22: Espécimes de Strophonella ? sp.
Figura 23: Espécime de Schizophoria aff. strigosa
Figura 24: Espécime de Schizophoria ? sp. (S. aff. (Eoschizophoria) parafragilis) marcado com 1 entre vários restos de outros braquiópodes indeterminados. 
Figura 25: Espécime de Sieberella ? sp. 
Figura 26: Acumulação de conchas de Isortidae indeterminados.
Figura 27: Espécime de Karpinskia sp. (K. cf. fedorovi).
Figura 28: Exemplos de Tentaculites. 
Figura 29: Alguns artículos de crinoides. Da esquerda para a direita: Botryocrinus sp.; Cyclocaudex ? sp.  (ou alternativamente Calleocrinus ? sp.); Pentacauliscus ? sp. ou Pentagonostipes ? sp.
Figura 30: Pigídios de e Asteropyginae indeterminados.
Figura 31: Céfalo parcial de Phacops sp. da coleção do Museu de Historia Natural e da Ciência da Universidade do Porto.
 
  • SÃO PEDRO DA COVA
No afloramento de São Pedro da Cova, surge também uma grande diversidade de fósseis, composta por trilobites (Eocryphops ? sp. entre outros géneros indeterminados), diversos crinoides (de notar o genero Tiaracrinus), corais rugosos e tabulados, bivalves, braquiopodes (Plectodonta minor ?)  briozoarios, tentaculites e possiveis Eurypterida ou Phyllocarida. 


Figura 32: Coral tabulado indeterminado. 


Figura 33: Exemplos de corais rugosos solitários.



Figura 34: Espécimes de Plectodonta minor ?
Figura 35: Alguns exemplos de bivalves indeterminados. 

Figura 36: Três espécimes de tentaculites
Figura 37: Molde interno e moldes externos de um cálice de Tiaracrinus  quadrifrons.

Figura 38: Alguns espécimes da trilobite Eocryphops ? sp.

Figura 39: Exemplo de outras trilobites Phacopinae. Estes exemplares com olhos grandes são indeterminados.


Figura 40: Um exúvio de trilobite Phacopinae representado aqui por molde interno e externo. 


Figura 41: Pigídios de Asteropyginae indeterminados de reduzido tamanho.

Figura 42: Carapaça de artrópode putativamente atribuida a Phyllocarida com base no tamanho, forma e paleoambiente associado. 

  • DORNES
A fauna aqui presente, é menos diversificada que outras aqui referidas, no entanto, isso não faz de Dornes menos importante. A fauna aqui descrita, corresponde sobretudo a braquiopodes (tais como os generos Howellella, Schizophoria, Mesoleptostrophia, Mclearnites e outros), o coral tabulado Ligulodictyum ligulatum, crinoides (Botryocrinus entre outros), briozoarios, tentaculites algumas trilobites e Phyllocarida


Figura 43: Espécime do coral tabulado Ligulodictyum sp.

Figura 44: Espécime de Howellella sp.

Figura 45: Dois espécimes de Mesodouvillina sp.
Figura 46: Espécime de Mesoleptostrophia sp.
Figura 47: Espécimes de Schizophoria ? sp.  (marcado com 1 na fotografia, à esquerda está uma tentaculite). 
Figura 48: Espécimes de Arduspirifer ? sp. 
 
  • PORTALEGRE
Nesta região as litologias são muito fossiliferas . Nelas podem ser encontrados fósseis de Trilobites (Phacops, Treveropyge, Homalonotus e outras), diversos braquiopodes, corais tabulados (Kerforneidictyum e outros) e rugosos (entre os quais o género Crassicyclus), crinoides (entre os quais possivelmente o género Botryocrinus), tentaculites e briozoarios. 
Figura 49: Espécimes de corais rugosos solitários indeterminados. 
Figura 50: Espécimes do coral rugoso solitário Crassicyclus sp. Dois espécimes representados pela face proximal (esquerda) e distal (a direita) e, abaixo, um exemplar representado apenas pela face proximal.
Figura 51: Três espécimes do coral tabulado Kerforneidictyum kerfornei
Figura 52: Três espécimes de Iridistrophia ? sp. 
Figura 53: Espécime de Cymostrophia (Protocymostrophia) ? sp.
Figura 54: Espécime de Hysterolites ? sp.  representado por molde e contramolde. 
Figura 55: Exemplos de artículos de crinoides atribuídos a Botryocrinus ? sp.
Figura 56: Espécimes de trilobites Acastidae. Da esquerda para a direita: céfalo parcial com olho preservado; pigídio isolado; pigídio com espinhos e artículo de crinoide associado.