Historial de Actividades - Produção tomate para a Indústria

 No dia 17 de Janeiro de 2018, deu-se início ao Projecto, visando a produção de tomate destinado à indústria, com uma deslocação à Associação de Beneficiários do Roxo e Campos do Roxo Lda, para definição de parâmetros tecnológicos necessários à produção de tomate biofortificado para a indústria.

Concorreu uma deslocação aos campos de produção de tomate para selecção de talhões que serão objecto de biofortificação e caracterização da área de produção recorrendo a técnicas ligadas à agricultura de precisão.

   

     

   

No dia 26 de Março de 2018, visando a produção de tomate destinado à indústria, efectuou-se uma deslocação à Associação de Beneficiários do Roxo e Campos do Roxo Lda, para recolha de amostras de solo visando a respectiva caracterização física e quimica. Procedeu-se ainda a caracterização do solo com recurso à utilização de tecnicas de agricultura de precisão.

    

Para determinação / aferição das condições edáficas dos campos experimentais de Beja, sob coordenação da Associação de Beneficiários do Roxo e Campos do Roxo Lda, destinadas à implementação dos campos de biofortificação, nos dia 5 e 6 de Abril de 2018, tiveram inicio às análises laboratoriais, para determinação dos nutrientes, indice cromático, pH, humidade, matéria orgância, conductvidade e granulometria.

        

No dia 20 de Abril de 2018, visando a produção de tomate destinado à indústria, efectuou-se uma deslocação à Associação de Beneficiários do Roxo e Campos do Roxo Lda, para instalação de uma estação meteorológica. Procedeu-se ainda a caracterização do solo com recurso à utilização de tecnicas de agricultura de precisão.

   

   

No dia 20 de Abril de 2018, visando a produção de tomate destinado à indústria, a Associação de Beneficiários do Roxo e Campos do Roxo Lda, procederam no campo experimental à realização de uma lavoura com uma charrua de aivecas, seguida de uma passagem com uma grade de disco para esmiuçar a terra.

        

No dia 11 de Maio de 2018, visando a produção de tomate destinado à indústria, a Associação de Beneficiários do Roxo e Campos do Roxo Lda, procederam ao plantio das variedades de tomate que serão submetidas a biofortificação em Mg.

    

Nos dias 6 (foto abaixo), 13, 20, 27 de Julho, 3 e 10 de Agosto, os técnicos da empresa Campos do Roxo procederam à aplicação de magnésio nos campos experimentais visando a biofortificação de tomate destinado à industria.

    

Nos dias 16-18 de Julho desenvolveu-se um modelo digital nos campos experimentais (imagens recolhidas nos dias 17 de Janeiro, 20 de Abril, 18 de Maio) centrados na biofortificação de tomate destinado à Industria (Campos do Roxo Lda) para produção de mapas com NDVI e NDRE. 

   

No dia 24 de Julho efectuou-se uma deslocação ao campo experimental da empresa Campos do Roxo Lda para aferição fisiológica das plantas após 3 aplicações de fertilizante. Foram efectuadas medições de trocas gasosas foliares e de fluorescência da clorofila a ao nível foliar, em condições de equilibrio dinâmico de fotossíntese. Fizeram-se igualmente recolha de folhas para determinações de fluorescência após adaptação à escuridão e para avaliação de teores de elementos minerais. Em simultâneo procedeu-se ainda ao acompanhamento com um drone (com câmara multispectral acoplada), em vôos de baixa altitude, para alta definição das imagens recolhidas e a processar em termos de Detecção Remota (vôos realizados a 20 m de altura).

        

No dias 25 - 30 de Julho teve inicio a actividade laboratorial conducente à análise de parâmetros físicos e químicos (cor e micro e macronutrinetes, em amostras de folhas e frutos recolhidos no dia 24 de Julho) do tomate submetido aos diferentes processamentos de biofortificação no campo experimental dos Campos do Roxo.

   

No dia 13 de Agosto efectuou-se uma deslocação ao campo experimental da empresa Campos do Roxo Lda para aferição fisiológica das plantas após aplicação de fertilizante. Foram efectuadas medições de trocas gasosas foliares e de fluorescência da clorofila a ao nível foliar, em condições de equilibrio dinâmico de fotossíntese. Fizeram-se igualmente recolha de folhas para determinações de fluorescência após adaptação à escuridão e para avaliação de teores de elementos minerais. 

    

No dia 5 de Setembro procedeu-se à colheita do tomate no campo experimental dos campos do Roxo submetido aos vários tratamentos de biofortificação, visando a subsequente analise laboratorial para aferição de caracteristicas nutricionais e de qualidade.

    

No dia 6 de Setembro teve inicio o conjunto de procedimentos experimentais visando a definição do indice de biofortificação dos frutos colectados à colheita dos diferentes tratamentos aplicados no campo experimental dos Campos do Roxo.

    

No dia 7 de Setembro teve inicio o conjunto de procedimentos experimentais visando a definição de padrões de qualidade do tomate colectado à colheita dos diferentes tratamentos aplicados no campo experimental dos Campos do Roxo.

    

Durante o mês de Outubro / Novembro, nos laboratórios da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa, procedu-se à preparação das amostras obtidas no campo experimental dos Campos do Roxo, nomeadamente, para determinação de micro e macroelementos nas diferentes amostras biofortificadas, recorrendo-se à espectrofotometria de absorção atómica. Durante as 2 semanas iniciais de Dezembro efectuou-se a determinação dos indices de biofortificação nos diferentes tratamentos e a aferição de interacções sinérgicas e antagónicas entre os diferentes elementos minerais, utilizando esta técnica em conjunção com técnicas de fluorescência acoplada a raios X. Adicionalmente, efectuaram-se determinações por microscopia electrónica de varrimento acoplada a rios X e espectroscopia dispersiva de raios X (SEM/EDS) para localização tecidular de micro e macroelementos nutricionais.

No dia 19 de Março de 2019 efectuou-se uma reunião com todos os parceiros do projecto para apresentação, análise e discussão dos resultados obtidos durante 2018 no campo experimental dos Campos do Roxo. Efectuou-se uma caracterização do indice de biofortificação das duas variedades de tomate em análise. Efectuou-se ainda um plano para implementação na campanha de 2019, no estrito cumprimento dos objectivos do projecto.

No dia 30 de Abril de 2019 procedeu-se a nova plantação das variedades de tomate em estudo no campo experimental dos Campos do Roxo, visando uma nova biofortificação em data subsequente.

   

No campo de ensaio do Instituto Politécnico de Beja, visando a implementação do campo de ensaio, procedeu-se à preparação do terreno, de forma faseada, obedecendo-se à seguinte calendarização: 25 de Março de 2019 - lavoura; 26 de Março de 2019 - escarificação dupla (não tenho registo fotográfico); 12 de Abril de 2019 - aplicação do adubo de fundo; 12 de Abril de 2019 - passagem da fresa para incorporação do adubo ao solo; 03 de Maio de 2019 - passagem da fresa para eliminação das infestantes que entretanto surgiram (não tenho registo fotográfico); 06 de Maio de 2019 - armação dos camalhões; 06 de Maio de 2019 - passagem da fresa para regularização dos camalhões; 07 de Maio de 2019 - Colocação dos sistema de rega.

    

No campo de ensaio do Instituto Politécnico de Beja, no dia 8 de maio procedeu-se à plantação do tomate visando os subsequentes estudos de biofortificação.

    

Entre o dia 13 e 16 de Maio, os professores Sara Rodrigo e Oscar Santarmaria, na sua qualidade de consultores deste projecto, estiveram presentes na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa, tendo no Departamento de Ciências da Terra analisado, discutido e apresentado resultados no âmbito da tecnologia de biofortificação alimentar.

No dia 25 de Maio efectuou-se uma deslocação ao campo experimental do Instituto Politécnico de Beja para observação do desenvolvimento das plantas de tomate destinado à industria biofortificaçdo em Mg para a industria. Procedeu-se ainda à recolha de imagens multiespectrais com apoio de drones. 

  

No dia 13 de Junho efectuou-se uma deslocação ao campo experimental dos campos do Roxo para observação do desenvolvimento das plantas de tomate destinado à industria biofortificaçdo em Mg para a industria. 

    

No dia 24 de Junho procedeu-se à primeira pulverização das variedades de tomate submetidas ao processo de biofortificação em Mg, no estrito cumprimento do itinerário técnico previamente estruturado para o efeito.

Desde 1 de Julho procedeu-se à recolha de amostras provenientes do campo experimental dos campos do Roxo submetido ao itinerário de biofortificação em magnésio, para subsequente análise laboratorial.

No dia 25 de Junho efectuou-se uma deslocação ao campo experimental do Instituto Politécnico de Beja, para análise visual e recolha de amostras das plantas submetidas ao itinerário técnico de biofortificação.

  

No dia 23 de Julho efectuou-se uma deslocação ao campo experimental dos campos do Roxo para verificar o estado da cultura e se proceder à recolha de amostras para análise laboratorial.

  

No dia 28 de Agosto procedeu-se à colheita do tomate biofortificado dos Campos do Roxo, para subsequente análise laboratorial e controlo de qualidade.

    

No dia 22 de Agosto efectuou-se uma deslocação ao campo de produção do Instituto Politécnico de Beja para verificação do estado da cultura, equacionando as implicações fisiológicas associadas ao itinerário de biofortificação, e recolha de dados relativamente à mobilização de assimilados no âmbito da maquinaria fotossintética.

  

No dia 5 de Setembro efectuou-se uma deslocação ao Instituto Politécnico de Beja para recolha de amostras de tomate biofortificado produzido nos campos do Roxo e no campo experimental do IPBeja, para subsequente análise laboratorial (definição de indices de biofortificação e controlo de qualidade).

Entre 16 e 20 de Setembro a Drª Anna Vukovic, da Josip Juraj Strossmayer University of Osijek - Croácia, deslocou-se aos laboratórios do Departamento de Ciências da Terra da Universidade Nova de Lisboa, para desenvolver e implementar técnicas laboratoriais em tomate biofortificado.

Os Professores Dario Itjkic, Boris Ravnjak, Miro Stosic and Tomislav Vinkovic provenientes da Universidade Josip Juraj Strossmayer - Osijek / Croácia deslocaram-se ao Departamento de Ciências da Terra, para troca de experiências , dando particular enfase à produção e controlo de qualidade alimentar. Apresentaram ainda 3 comunicações cientificas com base na investigação que vêm desenvolvendo.

Em 20-30 de Setembro de 2019 procedeu-se à colheita das variedades de tomate submetidas ao itinerário de biofortificação em magnésio nos campos experimentais dos Campos do Roxo. No dia 1 de Outubro tive então inicio a análise laboratorial das amostras, aferindo-se os indices de biofortificação dos diferentes tratamentos e determinando-se os respectivos parâmetros de qualidade. Este processo ficou concluido no dia 27 de Janeiro de 2020.

No dia 19 de Maio procedeu-se à plantação do tomate no campo experimental Campos do Roxo, visando a subsequente biofortificação em magnésio. Neste procedimento utilizaram-se as técnicas agrícolas usualmente utilizadas para o tomate destinado à indústria.

    

No dia 28 de Maio 2020 ocorreu a plantação dce tomate destinado ao processo de biofortificação no campo experimental do Instituto Politécnico de Beja. Esta plantação foi antecedida pelo seguinte conjunto de procedimentos culturais: 19 de março: passagem do destroçador para destruir as infestantes; 26 de março: lavoura; 02 de abril: escarificação cruzada; 05 de maio: escarificação simples; 25 de maio: aplicação do adubo de fundo; 25 de maio: passagem da rototerra para incorporação do adubo e regularização do terreno; 26 de maio: montagem do sistema de rega; 27 de maio: marcação do ensaio; 28 de maio: plantação; 08 de junho: inicio da fertirrega.

Aspecto geral da instalação do sistema de rega, plantação e escarificação

    

No dia 3 de Julho de 2020, correspondendo ao deliniado no itinerário de biofortificação, procedeu-se à aplicação de magnésio no campo experimental do Roxo.

 

No dia 3 e 8 de Julho de 2020 efectuou-se uma deslocação ao campo experimental do Instituto Politécnico de Beja para análise do estado fitosanitário do campo de produção de tomate submetido ao itinerário de biofortificação em magnésio. Constatou-se a ausência de aspectos de fitotoxicidade, assim como a ausência de aspectos de patogenicidade.

  

No dia 21 de Julho procedeu-se a uma deslocação ao campo experimental dos Campos do Roxo para visualização do estado fitosanitário da cultura e recolha de amostras para processamento laboratorial.

  

No dia 24 de Julho efectuou-se uma deslocação aos campos do Roxo para aferição da taxa potencial de mobilização de fotoassimilados.